Gastronomia

0
120

Moçambique, localizado no sudeste da África, é oficialmente chamado de República de Moçambique. É um país banhado pelas águas do Oceano Índico.

A gastronomia de Moçambique foi profundamente influenciada por Portugal, que introduziu novos alimentos, condimentos e métodos de cozimento. Estes elementos portugueses combinaram-se com a gastronomia local, resultando em muitos pratos actuais moçambicanos de sabor intenso.

O alimento básico para muitos moçambicanos é xima (chi-mah), um mingau espesso feito de milho. A mandioca e o arroz também são consumidos como carboidratos básicos. Todos são servidos com molhos de vegetais, carne, feijão ou peixe.

Outros ingredientes típicos incluem castanha de caju, cebola, louro, alho, coentro, páprica, pimenta, pimenta vermelha, cana-de-açúcar, milho, painço, sorgo e batata.

A comida moçambicana é rica em carnes, peixes e mariscos.

Piri piri, um molho picante tradicional, é adicionado à maioria dos pratos de carne e peixe. É feito com pimenta, suco de limão e especiarias transformadas em uma pasta espessa. Os dois ingredientes principais, limões e pimentas, foram introduzidos em Moçambique pelos portugueses.

Frango no estilo africano é temperado com piri piri e assado no carvão. É comum servir marisco com piri piri e rodelas de limão.

O uso do vinho na culinária é outra tradição introduzida pelos portugueses.

Matata é um prato feito de amêijoas cozidas no vinho com amendoim e frutas ou vegetais.

O abacaxi com vinho do porto é feito a partir do abacaxi marinado no vinho. Os vinhos mais populares para beber e cozinhar são a Madeira seco, o vinho de mesa português, o vinho do Porto tinto e a aguardente.

Sopa de feijão-verde

O milho, o painço e o sorgo são cultivados pelos moçambicanos. A cozinha moçambicana usa milho e mandioca na preparação do mingau. O feijão ou a sopa de abóbora são muito populares.

Os portugueses trouxeram também o limão, a laranja e a lima para Moçambique e Angola. Trouxeram também pimentões, pimentas, milho, tomate, abacaxi e o porco O caril é servido quente à moda moçambicana, com “Manga Achar” que é chutney de manga.

O peixe e o marisco da costa moçambicana são considerados iguarias em todo o mundo.

Os cafés e chás moçambicanos da região da Zambézia são também considerados produtos da melhor qualidade.

A Salada de Abacate também é popular na maioria das regiões de Moçambique. Esta deliciosa salada é composta por rodelas de alfaces, dois tomates, dois abacates, molho de limão à base de sumo de limão, azeite e xarope de pêssego, sal, pimenta e ervas para salada.

O camarão e o marisco à moda moçambicana são apreciados em todo o país. Os principais ingredientes deste prato de peixe são camarões crus, pimenta vermelha amassada, sal, água, rodelas de limão e “Piri piri”.

Mas a influência recebida na culinária não foi só de Portugal, a cozinha típica moçambicana apresenta uma grande riqueza de pratos típicos regionais (diferentes de uma região a outra: Zona Sul, Inhambane, Zambézia, etc.) e conta um pouco também a história de Moçambique, em particular do encontro com a cultura árabe e indiana, que influenciaram bastante a cultura gastronómica do país, com particular relevância na costa.

É o exemplo dos achares, condimentos tradicionais à base de piri-piri (malagueta ou sakana), manga e limão; ou os petiscos tal como as chamussas e os rissóis de proveniência indiana, que se tornaram característicos da gastronomia moçambicana.

As regiões de Inhambane e Zambézia são as maiores produtoras de coco do país e, consequentemente, tanto o leite – extraído da polpa ralada, submetida a um processo de reidratação com água morna – quanto a massa, são ingredientes muito utilizados na gastronomia.

Entre as receitas a base de coco, destacam-se a Galinha ou Frango à Zambeziana e a Mucapata (prato a base de feijão-soroco, arroz e coco).

Na Região de Inhambane, a polpa do coco é muito utilizada também na preparação de alguns doces tradicionais, como o katikalango, bolo preparado de forma somente caseira a base de farinha de milho, cebola e coco; o matortore e o bolo de mandioca, preparações que falam da terra de Inhambane e das populações locais: Matchope, Matzwa e Chitzonga.

As badjias (bolinhas de feijão nhemba com piri-piri, salsa e alho), a mandioca, a batata-doce e o pão vermelho, são a base do típico matabisho moçambicano, e se encontram em todo Moçambique.

Em todo o país também encontram-se as folhas tradicionais, os tubérculos, e vegetais de fruto, que são a base do carril, molho que acompanha arroz ou xima (polenta de milho branco), preparado muitas vezes com leite de coco e amendoim pilado.

A tradição moçambicana inclui muitas bebidas fermentadas, que variam de região para região.

Podem ser a base de frutos (silvestres ou não), ou de cereais. Entre as mais comuns: de caju, canhu, mapimbi, manga, maela, tinzoi e maçau.

Alguns refrescos são muito fermentados, como por exemplo o bocaju (a base de canhu), outros são pouco fermentados como o mahehu (a base de milho), muito usado durante as cerimónias e servido também para as crianças.

A variedade de receitas é grande e os condimentos locais trazem um toque ímpar à gastronomia do país. Entre os pratos mais apreciados, encontram-se as especialidades da Zambézia, região central do país.

Um modo exclusivo de preparar o frango, o camarão e o quiabo, além de pratos como a mucapata, mucuane, sanava e patanicua fizeram da cozinha zambeziana um patrimônio nacional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu nome aqui
Por favor digite seu comentário!